O que é que os piratas faziam para se divertirem?

O que é que os piratas faziam para se divertirem?
David Meyer

Apesar de passarem grande parte do seu tempo a atacar navios, a procurar baús de tesouro enterrados ou a explorar novas ilhas do tesouro, as tripulações piratas ainda arranjavam espaço para actividades de lazer e entretenimento.

Os piratas entregavam-se ao jogo, às partidas, à música, à dança e a vários jogos de tabuleiro para passarem o tempo entre as viagens.

Os piratas da era dourada viveram as emoções da vida marítima e desfrutaram da camaradagem das suas tripulações ao participarem em todos os riscos e recompensas inerentes à vida no mar. Os capitães e as tripulações piratas divertiram-se com estas actividades divertidas e criativas.

Vamos saber mais sobre o que faziam para se divertirem.

Índice

    O que tornou a sua viagem divertida?

    Música e dança

    A tripulação cantava cantigas do mar enquanto executava jigs animados no convés ou na cozinha. Tambores, apitos de lata e violinos eram populares entre os homens, que muitas vezes tocavam em grupo ou se revezavam para se entreterem uns aos outros com actuações a solo.

    As danças populares entre os membros da tripulação incluíam a gaita de foles e o jig, movimentos que envolviam muitas batidas de pés, palmas e saltos enquanto se moviam em círculos ou formavam filas para marchar a tempo.

    As mulheres piratas bebiam e dançavam com os seus homólogos masculinos e, em alguns casos, até os ensinavam a dançar!

    Divertimento de formas selvagens

    Os piratas eram artistas, muitas vezes inventando acrobacias selvagens e ousadas para mostrar as suas novas capacidades. Sabiam como se entreter nas longas viagens, desde competições de luta de espadas e de arremesso de facas a batalhas simuladas no convés.

    Gostavam de se exercitar e participavam frequentemente em combates de luta livre ou de braço de ferro para testar a sua força.

    Outra atividade popular era o tiro ao alvo com pistolas e mosquetes, que utilizavam para afinar a pontaria quando disparavam canhões contra navios inimigos.

    Jogos e apostas a bordo

    Os piratas tinham muito tempo para jogar jogos de tabuleiro quando estavam no mar durante longos períodos, e algumas das escolhas mais populares incluíam cartas, dados e gamão.

    Os jogos de azar eram um passatempo comum nos navios piratas, com apostas que variavam de pequenas quantias a somas mais significativas de dinheiro ou bens.

    Os jogos de tabuleiro, com as suas regras complexas, eram uma excelente forma de a tripulação passar o tempo e aliviar o stress, enquanto o jogo oferecia um elemento excitante de risco e recompensa [1].

    Festejar com outros piratas

    Quando uma tripulação pirata se encontrava no porto ou celebrava uma missão bem sucedida, era frequente haver muita festa, incluindo cantar, dançar e beber com outros piratas.

    O álcool era uma forma comum de diversão e recompensa, sendo o rum e a cerveja as bebidas de eleição. Os piratas também trocavam histórias sobre tesouros encontrados em terras estrangeiras e histórias sobre as suas aventuras.

    Partidas de piratas

    Cena de encenação de piratas

    Imagem cortesia: needpix.com

    As partidas eram uma forma comum de os piratas passarem o tempo, desde pintar canhões falsos na parte lateral dos barcos a navegar vestido com roupa de senhora.

    A tripulação pregava muitas vezes partidas uns aos outros, contando histórias e participando em partidas práticas para se rirem. Embora a maioria destas partidas fossem divertidas e inofensivas, algumas podiam também levar a consequências mais graves se a pessoa errada se envolvesse.

    Celebrar as vitórias e recompensar

    Moedas de ouro, pedras preciosas ou jóias eram frequentemente oferecidas àqueles que se tinham excedido na batalha com outros navios.

    O tempo passado a celebrar uma missão bem sucedida era também uma boa oportunidade para os piratas criarem laços e desfrutarem da companhia uns dos outros. Era uma forma de se reunirem, reflectirem sobre as suas conquistas e planearem futuras façanhas.

    Exercício para se manter em forma e saudável

    Manter-se em forma e saudável era crucial para os piratas, que muitas vezes tinham de suportar longas horas de trabalho manual em condições difíceis.

    Exercícios como os alongamentos e o levantamento de pesos eram utilizados para manter o corpo forte, enquanto correr à volta do convés era uma forma fácil de se manterem activos. Os piratas aproveitavam todas as actividades físicas disponíveis, como a natação, a pesca e a escalada.

    Isto ajudou-os a manterem-se ágeis e preparados para qualquer desafio ou ataque surpresa ao seu navio [2].

    Hobbies e projectos criativos

    Nos dias mais calmos, muitos piratas dedicavam-se a passatempos e projectos criativos no seu tempo livre.

    Estas actividades, que podiam incluir esculpir madeira, fazer jóias, pintar quadros de paisagens exóticas ou escrever poesia, ajudavam-nos a aliviar o tédio e a exprimir a sua criatividade.

    Também proporcionaram uma forma de a tripulação se relacionar com interesses comuns e escapar à dura realidade das suas vidas no mar.

    Honrar as tradições e os rituais dos piratas

    As tradições dos piratas incluíam o respeito pela cultura de cada um, a celebração das vitórias através do disparo de armas para o ar e um brinde antes de cada refeição.

    Estas tradições eram essenciais para manter a tripulação unida e criavam uma atmosfera de camaradagem que tornava a vida no mar muito mais agradável.

    Partilhar histórias à volta da fogueira

    Durante os tempos livres, os piratas reuniam-se à volta de fogueiras para contar histórias sobre as suas aventuras em alto mar.

    Contavam histórias de terras longínquas, criaturas misteriosas e tesouros escondidos que proporcionavam uma experiência cativante.

    Estas histórias também serviam como forma de transmitir lições essenciais de uma geração para a seguinte, ajudando os piratas mais jovens a aprender competências e lições valiosas sobre a vida no mar.

    Veja também: Quando é que os mosquetes foram usados pela última vez?

    Caminhada na prancha

    Imagem cortesia: rawpixel.com

    Finalmente, nenhuma lista de actividades piratas estaria completa sem mencionar o infame "andar na prancha" e ser atirado ao mar.

    Embora esta nunca tenha sido uma prática confirmada entre os piratas, as histórias de vítimas que saem dos navios para a morte tornaram-se parte da tradição marítima popular.

    Quer seja real ou imaginário, andar na prancha continua a ser um símbolo de medo e poder que ainda hoje está associado aos piratas modernos. Era muitas vezes feito como castigo para os prisioneiros capturados, mas a maioria dos piratas fazia-o por diversão. Por vezes, até apostavam em quem conseguia ficar mais tempo na prancha.

    Explorando juntos o desconhecido

    Explorar águas desconhecidas era uma parte emocionante da vida dos piratas, que se aventuravam frequentemente em terras desconhecidas em busca de tesouros.

    Estas viagens podiam durar meses ou mesmo anos, pelo que a tripulação encontrava formas de se entreter a bordo e de manter o ânimo durante os períodos difíceis, encorajando-se mutuamente com palavras e sentimentos positivos.

    Desde a prática de exercício físico a projectos criativos e à exploração do desconhecido, encontraram formas de tornar a vida a bordo um pouco menos assustadora.

    Veja também: O simbolismo dos vampiros (15 principais significados)

    Estas tradições foram transmitidas de geração em geração, ajudando os piratas a manterem-se ligados e a encontrarem um objetivo nas suas viagens em alto mar [3].

    Considerações finais

    Os piratas entraram para a história como ferozes salteadores e aterrorizadores dos mares, mas por detrás deste exterior rude havia um grupo de pessoas que encontravam formas de gozar a vida em longas viagens de navio.

    Os seus passatempos criativos, rituais e histórias tornavam a vida no mar mais agradável.

    Apesar dos seus ataques e batalhas, é essencial reconhecer as actividades partilhadas que os ajudaram a manterem-se ligados durante as suas viagens em alto mar.




    David Meyer
    David Meyer
    Jeremy Cruz, um historiador e educador apaixonado, é a mente criativa por trás do blog cativante para os amantes da história, professores e seus alunos. Com um amor profundamente enraizado pelo passado e um compromisso inabalável de divulgar o conhecimento histórico, Jeremy se estabeleceu como uma fonte confiável de informação e inspiração.A jornada de Jeremy no mundo da história começou durante sua infância, enquanto ele devorava avidamente todos os livros de história que conseguia colocar em suas mãos. Fascinado pelas histórias de civilizações antigas, momentos cruciais no tempo e os indivíduos que moldaram nosso mundo, ele sabia desde cedo que queria compartilhar essa paixão com os outros.Depois de concluir sua educação formal em história, Jeremy embarcou em uma carreira de professor que durou mais de uma década. Seu compromisso em promover o amor pela história entre seus alunos era inabalável, e ele continuamente buscava maneiras inovadoras de envolver e cativar as mentes dos jovens. Reconhecendo o potencial da tecnologia como uma poderosa ferramenta educacional, ele voltou sua atenção para o mundo digital, criando seu influente blog de história.O blog de Jeremy é uma prova de sua dedicação em tornar a história acessível e envolvente para todos. Por meio de sua escrita eloquente, pesquisa meticulosa e narrativa vibrante, ele dá vida aos eventos do passado, permitindo que os leitores sintam como se estivessem testemunhando o desenrolar da história antes.os olhos deles. Seja uma anedota raramente conhecida, uma análise aprofundada de um evento histórico significativo ou uma exploração da vida de figuras influentes, suas narrativas cativantes conquistaram seguidores dedicados.Além de seu blog, Jeremy também está ativamente envolvido em vários esforços de preservação histórica, trabalhando em estreita colaboração com museus e sociedades históricas locais para garantir que as histórias de nosso passado sejam protegidas para as gerações futuras. Conhecido por suas palestras dinâmicas e workshops para colegas educadores, ele constantemente se esforça para inspirar outras pessoas a se aprofundarem na rica tapeçaria da história.O blog de Jeremy Cruz serve como prova de seu compromisso inabalável em tornar a história acessível, envolvente e relevante no mundo acelerado de hoje. Com sua incrível capacidade de transportar os leitores ao âmago dos momentos históricos, ele continua a fomentar o amor pelo passado entre os entusiastas da história, professores e seus ávidos alunos.