Simbolismo da samambaia (6 principais significados)

Simbolismo da samambaia (6 principais significados)
David Meyer

A planta do feto tem desempenhado um papel importante em várias culturas e religiões em todo o mundo durante séculos. A ciência moderna diz-nos que esta planta existe provavelmente há mais de 400 milhões de anos [1], o que significa que é anterior aos dinossauros!

Esta é uma prova da sua resiliência e da capacidade de adaptação dos fetos ao seu ambiente.

Os fetos são algumas das espécies de plantas mais comuns em todo o mundo. Encontram-se em todos os continentes, embora a sua diversidade seja maior nas regiões tropicais. Esta pequena planta resistente também pode ser encontrada nos desertos e na Antárctida.

Ainda hoje, o feto é usado como símbolo em muitos contextos diferentes. Neste artigo, vamos explorar o que ele simboliza.

A planta Feto simboliza a visão, a reprodução, a invisibilidade, a riqueza, a boa sorte, a luz, a orientação, o amor e a prosperidade.

Índice

    1. visão

    Os fetos e as suas sementes têm sido frequentemente associados à visão [2], o que inclui a visão física, através dos olhos, e a visão mental, em termos de pensamento a longo prazo e de perceção do futuro.

    Fotografia de Sebastian Sørensen

    Na medicina europeia, ainda no século XVIII, existem provas de práticas médicas formais que utilizavam as folhas da planta feto juntamente com claras de ovo para criar uma pomada tópica para curar a vermelhidão dos olhos e a cegueira de curta duração. Esta pomada era aplicada nas sobrancelhas e no rosto e deixada a repousar durante algumas horas.

    Uma vez que estas plantas não têm sementes visíveis, acreditava-se que as suas sementes tinham poderes mágicos especificamente relacionados com a visão do futuro. Era comum a crença de que encontrar as sementes poderia desvendar os segredos do futuro.

    Hoje em dia, esta crença é mais espiritual do que literal. Os fetos simbolizam a claridade - diz-se que o aparecimento do feto significa que a pessoa está prestes a ganhar alguma perceção que a guiará em direção ao seu futuro ou a ver as coisas com clareza.

    2) Reprodutividade

    Até há pouco tempo, a forma como os fetos se reproduziam era um mistério. A ciência moderna descobriu que estas plantas utilizam esporos para se espalharem e reproduzirem, razão pela qual não existem sementes visíveis.

    No entanto, este aspeto da planta fascinava os povos do passado, que lhe associavam frequentemente poderes mágicos de fertilidade.

    O feto não precisa de um macho ou de uma fêmea, mas uma única planta pode dar continuidade à espécie, uma vez que é capaz de desempenhar os papéis de ambos os sexos. No passado, as suas folhas estavam associadas à fertilidade e eram frequentemente oferecidas às noivas ou faziam parte do seu traje de casamento para induzir os poderes de fertilidade da planta.

    Da mesma forma, os pais que não tinham sucesso em ter filhos tentavam frequentemente obter uma planta de feto ou partes dela para colocar em sua casa ou plantar nos seus jardins, na esperança de que isso melhorasse a sua sorte em ter filhos.

    Hoje em dia, o feto continua a simbolizar a fertilidade e é frequentemente oferecido como presente a um ente querido que está prestes a "produzir" algo - seja alguém que está a tentar conceber um filho, iniciar um negócio ou uma relação.

    3. invisibilidade

    Alguns pensavam que a planta podia tornar as suas sementes invisíveis, enquanto outros pensavam que elas próprias eram inerentemente invisíveis - e se conseguíssemos obter uma dessas sementes, também nos poderíamos tornar invisíveis.

    Imagem de Robert Balog do Pixabay

    Outro mito era o de que as sementes da planta se encontravam escondidas no seu interior. As pessoas pensavam que se conseguissem encontrar essas sementes escondidas e possivelmente invisíveis, poderiam descobrir os segredos ocultos do mundo físico em que existiam.

    Várias peças de teatro e histórias escritas na Europa durante o século XVIII falavam de fetos e da sua capacidade de proporcionar invisibilidade. Até hoje, representam esse mesmo tipo de privacidade, razão pela qual são habitualmente colocados em escritórios e casas - implicando paz.

    4. riqueza e boa fortuna

    Como nunca ninguém tinha visto as sementes de um feto e como se reproduzia era um grande mistério, acreditava-se que quem conseguisse obter esta semente mágica gozaria de uma fortuna incrível [3].

    Nas culturas bálticas, acreditava-se que a flor do feto só desabrochava uma vez por ano, à meia-noite, na véspera de São João ou durante o solstício de verão. Quem conseguisse obter esta semente nessa noite em particular receberia recompensas e riquezas para além da sua imaginação.

    Da mesma forma, durante a era medieval, o folclore inglês falava de como a flor desta planta aparecia à meia-noite em cima de uma pilha de doze pratos de estanho. Dentro da flor, encontrava-se a semente do feto dourado. Mais uma vez, encontrar a semente estava associado a encontrar uma riqueza incrível.

    Nalgumas versões da história, a flor era vermelha e aparentemente tão brilhante que iluminava toda a floresta. No entanto, encontrar a semente dentro da flor vermelha produzia os mesmos resultados: ganhava-se riqueza material.

    Por isso, talvez seja uma boa altura para adicionar um feto ao seu jardim e ganhar um pouco dessa boa sorte!

    5. luz e orientação

    Para a tribo Maori da Nova Zelândia, o feto é uma planta particularmente importante e muito respeitada, associada à força e resistência devido às condições difíceis em que cresce sem esforço e como fonte de luz e orientação.

    Os Maoris centram-se em particular no feto prateado, uma espécie de feto que tende a brilhar e a emitir uma luz cintilante à noite, uma vez que reflecte a luz da lua e das estrelas, o que faz do feto prateado um candeeiro de estrada natural, sendo esta caraterística muito venerada pelos Maoris.

    Feto prateado da Nova Zelândia

    Foto de Phil Botha no Unsplash

    Até hoje, o feto prateado é a planta nacional da Nova Zelândia e está representado em muitas das suas coisas, como a bandeira, e estampado nas roupas dos seus atletas profissionais.

    A sua capacidade de iluminar a noite foi também considerada como uma caraterística protetora. Segundo o folclore, pode afastar os maus espíritos e até confundir os feitiços de magia negra. Acredita-se também que os fetos têm a capacidade de trazer a chuva e acabar com as épocas de seca.

    Ter o feto à volta da casa é uma forma de proteção contra ameaças físicas e metafísicas.

    6. amor e prosperidade

    A samambaia tem sido, de muitas maneiras, relacionada com a boa sorte, a riqueza, a proteção e a orientação, o que leva as pessoas a acreditarem que ela traz felicidade, amor e prosperidade. Diz-se que é um símbolo de um ambiente amoroso e forte, razão pela qual tantas sociedades elogiam a sua existência.

    Conclusão

    Hoje em dia, muitas das coisas que se acreditava anteriormente sobre o feto já não prevalecem com tanta intensidade, mas a planta ainda ocupa um lugar vital na cultura.

    Veja também: Símbolos budistas de força com significados

    As pessoas continuam a ter um grande respeito por ela e o seu significado espiritual continua a prevalecer na cultura popular. É uma planta de casa muito apreciada pelos adeptos da horticultura devido à sua estrutura única de folhas e à sua forma geral.

    Veja também: Os ninjas lutaram contra os samurais?

    Dado que pode ser encontrado em todo o mundo e representa o crescimento e o sucesso em tantos aspectos, não é de admirar que as pessoas continuem a adorar os fetos hoje em dia!

    Referências:

    1. //subconsciousservant.com/symbolism-of-ferns/
    2. //symbolismandmetaphor.com/fern-symbolism-meaning/
    3. //www.pansymaiden.com/flowers/meaning/fern/



    David Meyer
    David Meyer
    Jeremy Cruz, um historiador e educador apaixonado, é a mente criativa por trás do blog cativante para os amantes da história, professores e seus alunos. Com um amor profundamente enraizado pelo passado e um compromisso inabalável de divulgar o conhecimento histórico, Jeremy se estabeleceu como uma fonte confiável de informação e inspiração.A jornada de Jeremy no mundo da história começou durante sua infância, enquanto ele devorava avidamente todos os livros de história que conseguia colocar em suas mãos. Fascinado pelas histórias de civilizações antigas, momentos cruciais no tempo e os indivíduos que moldaram nosso mundo, ele sabia desde cedo que queria compartilhar essa paixão com os outros.Depois de concluir sua educação formal em história, Jeremy embarcou em uma carreira de professor que durou mais de uma década. Seu compromisso em promover o amor pela história entre seus alunos era inabalável, e ele continuamente buscava maneiras inovadoras de envolver e cativar as mentes dos jovens. Reconhecendo o potencial da tecnologia como uma poderosa ferramenta educacional, ele voltou sua atenção para o mundo digital, criando seu influente blog de história.O blog de Jeremy é uma prova de sua dedicação em tornar a história acessível e envolvente para todos. Por meio de sua escrita eloquente, pesquisa meticulosa e narrativa vibrante, ele dá vida aos eventos do passado, permitindo que os leitores sintam como se estivessem testemunhando o desenrolar da história antes.os olhos deles. Seja uma anedota raramente conhecida, uma análise aprofundada de um evento histórico significativo ou uma exploração da vida de figuras influentes, suas narrativas cativantes conquistaram seguidores dedicados.Além de seu blog, Jeremy também está ativamente envolvido em vários esforços de preservação histórica, trabalhando em estreita colaboração com museus e sociedades históricas locais para garantir que as histórias de nosso passado sejam protegidas para as gerações futuras. Conhecido por suas palestras dinâmicas e workshops para colegas educadores, ele constantemente se esforça para inspirar outras pessoas a se aprofundarem na rica tapeçaria da história.O blog de Jeremy Cruz serve como prova de seu compromisso inabalável em tornar a história acessível, envolvente e relevante no mundo acelerado de hoje. Com sua incrível capacidade de transportar os leitores ao âmago dos momentos históricos, ele continua a fomentar o amor pelo passado entre os entusiastas da história, professores e seus ávidos alunos.